03/06/13 Cuidados com Bebê , Doula Pós-Parto , Pós-Parto

Depoimento de uma querida Mãe!

Quando abri a porta pela primeira vez pra receber a Priscila Castanho eu estava chorando. Meu peito tinha empedrado. De novo!

Ela, com toda sua presença de espírito e prática no cuidado com as novas mamães, me deu um abraço e falou: “Calma! Vai ficar tudo bem!”

E ficou… Ficou tudo ótimo na verdade! O Theo, que na época estava com 1,5 mês, mamou durante todo tempo em que a Priscila fazia massagem em mim… Tudo que ele não tinha mamado naquela noite e não só desempedrou mas esvaziou meu peito! E depois dormiu um monte…

A partir desse dia a Pri passou a cuidar de mim semanalmente! Ela me ajudou no físico, com sua massagem maravilhosa, e também cuidou do meu lado espiritual me ajudando a ver a maternidade com muita naturalidade. Conversando com ela, todos as preocupações, tristezas, medos, culpas… sumiam e a mãe dentro de mim se fortalecia a cada encontro.

Além disso, sempre me dava dicas práticas… Como ordenhar, onde doar leite, como usar o sling e dar banho de balde…

Com o passar do tempo e o crescimento do meu pitoco, fizemos o curso de Shantala. No dia, um sábado friozinho de maio, o Theo ainda estava se recuperando de uma febre por causa de vacina e no fim da massagem reclamou um pouquinho. Eu parei e fiquei com ele no colo enquanto as outras mamães terminavam. Depois, o colocamos no balde, ele relaxou e dormiu gostoso…

Aquela noite depois do curso de Shantala com a Pri foi a primeira noite que o Theo dormiu várias horas seguidas! 7 horas direto! Acordei passadas 6 horas toda zonza, sem saber o que tinha acontecido… “O que? O mundo parou e eu não percebi?” E o Theo lá… dormindo… Claro que, com toda minha produção de leite, antes dele acordar tive que ordenhar…

Eu passei a fazer a massagem diariamente e fiquei maravilhada com a experiência! Desde o primeiro dia fazendo a Shantala no Theo em casa nos conectamos de uma forma muito gostosa… Ele sempre sorrindo, me olhando com seu jeitinho alegre… Esperando os próximos movimentos… Uma delícia e muito especial!

Pripri, obrigada por me ajudar a ver a maternidade da forma mais bonita que eu poderia ver! Obrigada e parabéns por esse trabalho tão lindo e generoso que você faz!

Pri, Fer e Theo

no responses
07/04/13 Doula Pós-Parto , Pós-Parto

Curso de Massagem em gestantes e puerperas!

Massagem na gestação, parto e pós parto
de 15 e 16 junho de 2013
 
 Apresentação: Técnicas combinadas de massagem relaxante e para cuidados com os desconfortos da gravidez e do pós parto.

 Local: GAMA – R Natingui 380 (esquina com a R Pascoal Vita) – Vila Madalena – São Paulo/SP veja no google maps como chegar ou em www.maternidadeativa.com.br/onde.html

 Valor do Curso: R$ 350,00

Forma de pagamento:
Matrícula de 150,00 + duas parcelas de R$ 100,00

 Total de vagas: 20
O curso será confirmado com um mínimo de 10 inscrições até 01 de junho.

 A quem se destina: Doulas, Obstetrizes, Cuidadores e Educadores Gestacionais, Massoterapeutas, Fisioterapeutas, Terapeutas Corporais e todas as pessoas interessadas em uma gestação saudável.

 Material a trazer para o curso:
Roupas confortáveis

 Metodologia: aulas teórico-vivenciais e práticas.
:: Hospedagem: CLIQUE AQUI
:: Certificação
– Certificado comprovando horas aulas para quem tiver participado de 100% das aulas. Quem não puder assistir parte das aulas não poderá receber o certificado.

:: Inscrições
**Clique aqui para preencher a ficha de inscrição**
.
O valor da matrícula poderá ser depositado em conta.
 Organização e programa:
Priscila Castanho: Doula pós-parto e Instrutora de Shantala formada pelo GAMA, massoterapeuta formada pela Humaniversidade Holística, especialista em atendimento de massagem terapêutica para gestantes e acolhimento de mulheres no pós parto. Através de massagens terapêuticas, busca – em conjunto com a mãe – o equilíbrio e a harmonia para que ela possa viver a maternidade com tranquilidade e entrega à este momento único. Site: Abraço Materno.
 Participação (Massagem para o parto):
Maíra Bittencourt: massoterapeuta e obstetriz
 Programa:

  • Alterações energéticas e fisiológicas durante a gestação;
  • Tipos de toques;
  • Posicionamento da gestante/parturiente/puérpera para receber massagem
  • Pontos que estimulam o parto
  • Cremes e óleos de massagem;
  • Massagem na gestação;
  • Massagem no parto;
  • Massagem no puerpério;
  • Práticas de massagem e alongamentos;
  • Auto massagem;
  • Aromaterapia na gestação e no puerpério;
  • Massagem além da técnica.
Ir para a Página Principal
no responses
01/04/13 Doula Pós-Parto , Pós-Parto

Dose de carinho!!!

Alais é uma querida mãe que tive o prazer de massagear durante a gestação da Alice e também no puerpério, ela me enviou este depoimento após ter feito o curso Massagear e Amar – Shantala no dia 15/03/13.

“Foi depois de uma sessão de massagem em mim que eu resolvi aprender Shantala e aplicar na Alice (minha bebê de 2 meses e meio); quando terminou a sessão eu estava tão leve, bem disposta  e relaxada que quis que a Alice também recebesse essa dosezinha diária de carinho. Fiquei impressionada com os efeitos, com uma semana de Shantala diariamente a Alice já não ficava tão nervosa para fazer coco, dormiu mais tranquila e começou até a tirar umas sonequinhas no meio da tarde.”
no responses
28/02/13 Cuidados com Bebê , Doula Pós-Parto , Pós-Parto

ESPECIAL: Mães empreendedoras cuidam de outras mães no pós-parto

Toda mãe passa pelo complexo período do pós-parto. Chamado genericamente assim, este é um momento único na vida de cada mulher. Isso porque cada uma tem uma trajetória, uma história de vida própria, um filho que é único (mesmo que seja o segundo ou o terceiro) e que acontece em um contexto também único da vida das pessoas envolvidas, da família e também da sociedade.

São múltiplos os fatores (sociais, emocionais, físicos, familiares e etc) envolvidos no processo que se chama de pós-parto. Por isso, cada uma e todas as mães deveriam ter uma atenção especial de familiares, amigos e companheiros(as) neste momento.

Pensando nisso, mulheres que são mães e já passaram por este momento criaram produtos e serviços para atender e acolher mães neste momento tão delicado. Vamos conhecer um pouco sobre o trabalho de Priscila Castanho, da Abraço Materno; Rosangela Alves, da Sampa Sling; Tatiana Tardioli, da Dança Materna; Isadora Canto, do Projeto Acalanto; Ligia de Sica, da Bebechila; e Cris Toledano, psicóloga e coordenadora de grupos de apoio ao pós-parto.

Priscila, da Abraço Materno

“Uma mãe acolhida, cuidada, ouvida e acariciada é com certeza a melhor forma de viver uma maternidade feliz e plena. E isso reflete diretamente nos cuidados com o bebê, seu crescimento e desenvolvimento”, afirma Priscila Castanho, da Abraço Materno. A empresa oferece massagens em gestantes, no pós-parto e dá cursos de Shantala, a massagem para bebês. Além disso, Priscila atende como doula pós-parto.

Rosângela, da Sampa Sling

Rosangela Alves, da Sampa Sling costuma visitar e receber visitas de mães e pais recentes nas consultorias que oferece em sistema de plantão ou nas Slingadas, onde apoia pais, mães e cuidadores a promoverem o uso correto dos carregadores de bebês. “É um período tão complexo, que tudo está misturado. As famílias chegam até mim procurando ajuda com o sling e terminamos falando de amamentação, relacionamentos, intervenções familiares, modos de cuidar, higiene do bebê e tudo mais que você possa imaginar”, conta.

Tatiana, da Dança Materna

Transformação e solidão

Com uma coisa todas concordam: trata-se de um período muito especial e, em geral, rondado por medos, angústias e inseguranças. “Esta é uma fase muito peculiar da vida, onde há uma grande quebra do que era a vida que a mulher tinha antes de ter o bebê, a imagem que tinha dela mesma, em relação ao momento presente, que exige dedicação total ao pequeno e um contato extremo com ela mesma, que muitas vezes leva à revisão de seus conceitos e crenças. Isto pode ser muito transformador se tomado como uma grande oportunidade de autoconhecimento, mas pode também ser um terreno muito árduo de se transitar se ela ficar muito sozinha. Nem sempre há pessoas próximas com disponibilidade de tempo para apoiar a mulher nesta fase da vida”, afirma Tatiana Tardioli, idealizadora da Dança Materna.

Para ela, por mais que a família e os amigos mais próximos queiram estar presentes, estão “no tempo do mundo, do dia a dia corrido”, enquanto a  mulher experimenta no pós-parto uma outra relação com o tempo, os espaços que antes frequentava e mesmo com as pessoas. “Precisa conviver com outras mães recentes e compartilhar experiências. Ser acolhida em suas dúvidas, medos, alegrias, variações de humor e tudo o mais que vem nesse período que dura muito mais do que os 40 dias “oficiais”. É importante para que ela possa ser reinserida na vida social, e se sinta apoiada, compreendida e acolhida e que viva estes  primeiros tempos com o bebê inteiramente em toda sua intensidade. Se ela tiver o apoio do marido nesse sentido, será de fundamental importância”, afirma Tatiana.

Mães: uma tribo

A psicóloga argentina Laura Gutman afirma esta necessidade: de as mães estarem em grupo, para compartilhar experiências e se apoiarem: “Nenhuma mãe deveria estar sozinha com um filho pequeno nos braços. A espécie humana foi desenhada para andar em manadas, em tribos. Nós, mães modernas, precisamos organizar uma tribo que nos apoie e ofereça companhia e compreensão”, disse ela em entrevista o site Mamatraca

A psicóloga paulistana Cris Toledano, desde 2008, organiza grupos com esta intenção. O grupo de encontro e acolhimento de mulheres no pós parto é um grupo de mulheres que acabaram de experimentar a chegada do seu bebê. “A troca, neste momento intenso e cheio de novidades, além de rica é reconfortante; ajuda a apaziguar a solidão, as dúvidas, os medos e anseios tão comuns neste momento da vida”, afirma ela em seu blog.

Isadora Canto, do Projeto Acalanto

Troca e vínculo

Para Tatiana, estar em grupo é fundamental e realizar uma atividade como a dança traz outros benefícios. Ela conta que a dança promove um espaço de diálogo entre as mulheres; favorece o vínculo com o bebê (que nem sempre é imediato, ao contrario da expectativa que se tem); contribui para que a mulher se empodere a partir da troca de experiências, no que se refere às decisões que toma sobre como maternar seu bebê; viabiliza um encontro com ela mesma, com momentos onde vai poder se cuidar, com auto-massagem, alongamento, e outros recursos que propiciarão que ela se sinta em casa neste corpo que muda tanto quanto suas emoções, desde que ela engravidou; possibilita que ela viva momentos felizes dançando com seu bebê, independente do contato que ela tenha ou não com a dança anteriormente; e ensina estratégias que ela vai poder usar em casa para cuidar dela mesma, acalmar o choro do bebê e fazê-lo dormir.

Isadora Canto, mãe, cantora, compositora e idealizadora do Projeto Acalanto também acredita que uma atividade artística pode contribuir para o vínculo entre mãe e filho recém-chegado ou ainda na barriga. No Projeto Acalanto, ela usa canções, composições e atividades musicais para construir a comunicação entre mãe e bebê desde a gestão.

Ligia de Sica, da Bebechila

“Desde o ventre, o bebê já começa a escutar sons do mundo exterior, por isso, ainda no útero já pode começar a ser acariciado com canções. Os benefícios para o bebê e para a mãe são inúmeros. Podemos citar como exemplos mais gerais o fortalecimento do vínculo afetivo, o elo entre mãe e filho, a fluidez na comunicação desde a barriga. Especificamente, podemos citar a entrada da mãe no universo infantil (muitas mães só tem contatos com seus bebês nos exames de ultrassonografia), o incentivo ao diálogo, a estimulação do imaginário materno com o contato com o mundo infantil”, afirma a artista em seu site.

Em um sentido – podemos dizer – mais “prático”, relacionado às pequenas inseguranças do dia-a-dia, Ligia de Sica oferece apoio e conforto às mamães, por meio da Bebechila. “As mochilas, bolsas e acessórios da Bebechila tem como intenção dar conforto e segurança para as mães. Neste comecinho de vida materna, muitas mulheres não se sentem à vontade para sair com o bebê para passear. A ideia dos nossos produtos é ajudar a mãe no sentido de conduzi-la a um passeio com tranquilidade e segurança, já que certamente ela estará levando tudo que precisa para cuidar de seu bebê”, explica Ligia. Os compartimentos e divisórias das malas e mochilas são pensados de acordo com cada ocasião de saída com os bebês, desde a maternidade até os passeios mais curtos, passando pelos momentos da alimentação e da higiene.

Ela explica como um produto como a Bebechila pode ajudar no vínculo entre a mãe e o bebê. “Quando a mãe se sente segura para sair, ela entende que seu filho não é apenas um pequeno ser que demanda atenção todo tempo, mas pode ser uma agradável companhia para passeios deliciosos. Além disso, livre de preocupações – como uma lista de coisas para lembrar toda vez que tem que sair – ela libera espaço emocional e energia para se dedicar mais ao filho. Além do que, na prática, a mochila libera as mãos e o corpo para ficarem disponíveis para o bebê que é o mais importante”, afirma, acrescentando que, no caso da Bebechila, o conforto, o vínculo e o cuidado extrapolam o pós-parto e acompanham mães e filhos por bastante tempo.


Estes são alguns exemplos de mães empreendedoras que estão preocupadas com o bem-estar de outras mães e que fazem de sua sabedoria e seus aprendizados um trabalho para transformar a vida de outras mães.

no responses
16/01/13 Cuidados com Bebê , Doula Pós-Parto

Unindo mente e coração.

É com o desejo de unir mente e coração que inicio minhas atividades profissionais no ano de 2013!
Promovendo através do acolhimento físico e emocional a gestantes, mães e bebês uma maternidade vivida com paz e harmonia.
Estou atendendo em domicilio mães no pós parto com massagem terapêutica e também como Doula Pós Parto.

Em consultório atendo gestantes com massagem terapêutica, no endereço:
Rua Francisco Cruz, 428 casa 26 – Vila Mariana – São Paulo
próximo ao metrô Chacara Klabin – Tel: (11) 2309-8666

No Espaço Nascente e no Gerar e Nascer Humanizado com curso de Shantala.

Namastê

Priscila Castanho
11- 96443 8397
abraco.materno@gmail.com

no responses
21/12/12 Doula Pós-Parto

Feliz Natal, Bem vindo 2013!

FELIZ NATAL!
Desejo a todos um ótimo Natal com harmonia, generosidade e gratidão!
Fé na vida, na Sabedoria Divina e no Amor!
Sou imensamente grata pelo ano de 2012, por todos os acontecimentos, amadurecimentos e aprendizados que vivi!
Que 2013 venha banhado pela luz Divina, que a espiritualidade faça parte do cotidiano de todos os seres!
Seja bem vindo 2013!!!!

Estarei em período de férias de 21/12/12 a 14/01/13.
Namastê
Pri

no responses
13/12/12 Cuidados com Bebê , Doula Pós-Parto , Pós-Parto

Saiba o que é uma Doula Pós Parto

Os primeiros dias em casa com o bebê não costumam ser muitos tranquilos.

As mulheres estão sensíveis emocionalmente por conta das alterações hormonais, muitas sentem dores causadas pela cesárea e algumas estão extremamente cansadas pelo trabalho de parto.

Aquele bebê tão pequenino que acabou de chegar e depende completamente dela, está passando pelo quarto trimestre (conhecido como período de extero-gestação) e tem grande necessidade de atenção. É muito normal sentir-se insegura nessa hora, com dúvidas essenciais sobre como amamentar e cuidar dele.

O pai, também imerso em novos sentimentos, tenta entender qual é o seu lugar nessa nova situação e de que forma pode ajudar sua companheira.

Se há um filho mais velho, existe ainda a necessidade de incluí-lo e saber como lidar com o ciúmes natural.

E, além de tudo isso, existem as questões com família e visitas. Como lidar com tanta gente querendo conhecer o bebê?

É neste cenário de adaptações e descobertas que o trabalho da doula pós-parto acontece. Sua principal função é dar apoio físico e emocional à mãe.

Mas não se trata de uma enfermeira ou babá que vêm para cuidar do bebê. O foco da doula são as necessidades primordiais da mulher que acabou de dar à luz. Seu principal papel é empoderar a nova mãe , mostrando o quanto está em sua própria natureza ter todas as condições de cuidar do seu filho. A mulher é encorajada a cuidar do bebê e de si própria.

Para isso, a doula traz sugestões de cuidados com o bebê e estratégias para mobilizar familiares e estruturas para darem à mãe o apoio necessário.

>> Algumas das tarefas da doula:
Auxílio para elaboração do plano pós-parto
Orientações para o início da amamentação
Sugestões de cuidados com o bebê (banho, uso de carregadores, formas de acalmá-lo, rotina de sono)
Acolhimento emocional da mãe sem julgamento
Dicas de como inserir o filho mais velho e o parceiro neste novo cenário familiar
Orientações sobre como mobilizar a família para ajudá-la
Orientação nutricional e dicas para facilitar o preparo dos alimentos
Massagem para relaxamento da mãe

A doula também pode auxiliar a mãe em meio ao caos dos primeiros dias como no preparo de alguma refeição (no caso dela ainda não ter conseguido se alimentar), organização das coisas do bebê, olhar o pequenino enquanto ela consegue tomar um banho tranquila, ou fazer as unhas, por exemplo. Aquele tipo de coisa que quem já teve filho sabe muito bem que às vezes parece impossível de fazer nas primeiras semanas, sabe?

Essa é uma ajuda tão bacana que pode, por exemplo, ser dada por amigas da gestante como presente no chá de bebê (vale doula pós-parto).

As doulas pós-parto são muito comuns nos Estados Unidos e na Europa. E os benefícios de seu apoio durante o início do puerpério têm sido destacados como a diminuição da incidência de depressão pós-parto, maiores chances de sucesso na amamentação, facilidade da adaptação da família com o bebê, pais mais seguros.

Quando contratar a doula pós-parto?

O ideal é que ela seja contratada ainda durante a gestação. Porque é possível conhecê-la melhor em um bate papo gostoso, trocar ideias a respeito daquilo que é importante preparar para achegada do bebê e preparar em conjunto um plano pós-parto. A doula ficará disponível para você nas semanas próximas à data provável de parto.

Mas ela pode ser contratada a qualquer momento, mesmo que o bebê já tenha nascido. Muitas vezes a mãe se vê solitária e insegura precisando de ajuda com urgência.

Cada profissional tem características próprias de trabalho. Pode-se iniciar a contratação de uma doula pós-parto por 3 horas, durante 2 dias, por exemplo. O que pode ser perfeitamente prorrogado se houver a necessidade. Outras profissionais estarão disponíveis para passar períodos de 8 horas com a família, 6 dias por semana.

Como contratar uma doula pós-parto?

Se você tiver interesse em contratar uma doula pós-parto entre em contato comigo. Logo teremos uma página na internet com a indicação do nosso trabalho, mas, enquanto isso, posso indicar colegas que estejam mais próximas da sua residência.

no responses
Pesquisa
Calendário
abril 2019
S T Q Q S S D
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930